117 milhões de passageiros foram transportados em 2014

117 milhões de passageiros foram transportados em 2014

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) divulga hoje o Anuário do Transporte Aéreo de 2014. Entre os principais destaques desta edição está a quantidade de passageiros pagos transportados em 2014, que atingiu o maior número da história da aviação brasileira. No total, 117 milhões de passageiros foram transportados em 2014, sendo quase 96 milhões de passageiros em voos domésticos e 21,3 milhões em voos internacionais. Com este resultado, o setor registrou um acréscimo de mais de 68 milhões de passageiros nos últimos dez anos.

gru_airport_salon_terminal_1
A quantidade de passageiros pagos transportados no modal aéreo para cada 100 habitantes no Brasil mais do que dobrou em dez anos, passando de 26,8 em 2005 para 58,7 em 2014.

A demanda doméstica apresentou alta de 5,8% em 2014 na comparação com o mesmo período de 2013 e atingiu o seu maior nível nos últimos dez anos. Entre os anos de 2005 e 2014, em termos de passageiros-quilômetros pagos transportados (RPK), a demanda mais que duplicou neste período, com alta de 162,5% e crescimento médio de 11,3% ao ano. O número representou mais de 3 vezes o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e mais de 12 vezes o da população.

As tarifas aéreas domésticas registraram redução média de 4,5% em 2014 na comparação com 2013, tendo sido apurada em R$ 332,08, em termos reais. Nos últimos dez anos, o valor do quilômetro voado caiu a menos da metade, com redução de 61%. Em 2014, de cada 100 bilhetes de passagem aérea doméstica, 12 foram vendidos ao público adulto em geral com tarifas aéreas inferiores a R$ 100,00, tendo sido a maioria (59,3%) comercializada com valores abaixo de R$ 300,00.

O estado do Amapá/AP na região Norte registrou a menor Tarifa Aérea Média Doméstica em 2014 entre as 27 unidades da federação, da ordem de R$ 270,24. Já as viagens com origem ou destino na Paraíba/PB na região Nordeste apresentaram o menor valor por quilômetro voado, da ordem de R$ 0,217. Entre os 22 estados que apresentaram variação negativa real do Yield Tarifa Aérea Médio Doméstico em 2014 na comparação com 2013, Goiás/GO no Centro-Oeste teve a queda mais expressiva, da ordem de 12,6% em termos reais.

Um acompanhamento especial realizado pela Agência revelou que, em todos os cenários comparativos avaliados, as tarifas aéreas domésticas comercializadas para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 foram inferiores ou compatíveis com aquelas apuradas para outros grandes eventos realizados no país, para os períodos de alta temporada de 2013/2014 e com aquelas praticadas no ano de 2013. A Tarifa Aérea Média Doméstica comercializada para a Copa foi apurada em R$ 320,49, em valores reais atualizado pelo IPCA ao mês de julho/2014.

Desde 2010, o avião tem sido o principal meio de transporte utilizado pelos passageiros nas viagens interestaduais com distâncias superiores a 75 km, em comparativo realizado com o modal rodoviário. Há dez anos, a participação do transporte aéreo neste mercado era de 34,8%, contra 65,2% do rodoviário. Em 2014, o modal aéreo manteve a sua liderança no transporte interestadual de passageiros sobre o modal rodoviário, com 63% versus 37%. Em relação ao ano anterior, o modal aéreo ampliou a sua participação frente o rodoviário em 3,6%.

A demanda no mercado internacional para voos com origem ou destino no Brasil praticamente dobrou desde 2005, com crescimento médio de 7,9% ao ano. Em 2014, o crescimento do transporte aéreo neste mercado foi de 8,8% em relação a 2013. A quantidade de passageiros quilômetros pagos transportados em voos internacionais no Brasil alcançou o seu maior patamar desde 2005. As companhias Tam e Gol representaram praticamente a totalidade das operações das empresas aéreas brasileiras neste mercado, com participação de 84,6% e de 14,9%, respectivamente. A taxa de aproveitamento dos assentos das aeronaves em voos domésticos (RPK/ASK) foi de 79,7% em 2014, o que representou melhora de 4,7% em relação à registrada em 2013 e de 14,9% quando comparada com 2005. Trata-se do melhor índice em dez anos. No mercado internacional, o aproveitamento das aeronaves em 2014 ficou em 80,0%, o que representou aumento de 1,0% em relação a 2005.

O faturamento com receitas de voo das empresas brasileiras concessionárias dos serviços de transporte aéreo público foi da ordem de 33,2 bilhões de reais em 2014, o que representou crescimento de 6,3% em relação a 2013. O principal item das receitas de voo foi a receita de passagens, com participação de 86,5%, seguida da receita de carga, que representou 7,7%. Por outro lado, o total de custos e despesas cresceu 6,5% e alcançou a cifra de R$ 33,87 bilhões. O custo com combustíveis foi o item mais representativo (36,6%), seguido do custo com arrendamento, manutenção e seguro de aeronaves (19,7%). Assim, o setor apurou prejuízo pelo quarto ano consecutivo, com resultado líquido negativo da ordem de R$ 1,65 bilhões em 2014.

Os dados apresentados no Anuário do Transporte Aéreo são fornecidos pelas empresas aéreas em atendimento à Resolução nº 191/2011 e Portarias nº 1189 e 1190/SRE/2011 e passam por diversos procedimentos de auditoria antes da publicação definitiva. Ressalta-se que a divulgação da edição do anuário de 2014 foi prejudicada devido a problemas ocorridos com o banco de dados da Agência que armazena as informações.

Planejando a próxima viagem? Pesquise ingressos para todos os parques de Orlando e chip internacional 4G ilimitado para a sua próxima grande aventura.